• Luana Machado

A R Q U I T E T U R A: Vamos Falar de Retrofit?

Atualizado: 10 de Set de 2018

Bom, a primeira vez que ouvi falar do termo retrofit foi em uma aula de interiores, na faculdade. O termo me chamou tanto a atenção, que resolvi pesquisar a fundo, e dividir essa nova tendência da construção civil com vocês. Vem comigo, que te mostro!

O conceito de retrofit surgiu na Europa, e ao pé da letra significa “colocar o antigo em forma” (retro do latim “movimentar-se para trás” e fit do inglês, adaptação, ajuste). 

Essa tendência surge como uma forma de revitalizar edifícios e outras construções trazendo a eles novas tecnologias e designs mais criativos; Envolvendo uma série de ações de modernizações e readequações de instalações. O objetivo é preservar o que há de bom na construção existente, adequá-la às exigências atuais e, ainda, estender a sua vida útil.

NBR 15.565: "Retrofit nada mais é do que a remodelação ou atualização do edifício ou de sistemas, através da incorporação de novas tecnologias e conceitos, normalmente visando valorização do imóvel, mudança de uso, aumento da vida útil, eficiência operacional e energética”.

As etapas de uma obra de retrofit são:

- Demolição controlada;

- Reforço de estrutura;

- Fechamento, acabamentos;

- Substituição e modernização de elétrica, hidráulica e, por fim, a fachada.

Como resultado de um trabalho inicial, o projetista tem a responsabilidade de orientar o usuário quanto aos pontos que devem ser observados, como substituição de equipamentos por outros energicamente mais eficientes, substituição de fluidos refrigerantes, viabilidade de reaproveitamento de partes e/ou componentes da instalação, custos envolvidos, economia prevista, bem como na orientação quanto ao impacto das obras e planejamento de suas etapas.

Assim, por vezes, um projeto de retrofit pode sair mais caro que uma obra começada do zero. Os custos são provenientes de uma boa mão-de-obra necessária, profissionais experientes desde o planejamento até a execução, atualização de materiais e produtos, quebra-quebra ou ampliação, restauração ou substituição da alvenaria, entre outros mais processos.

Entretanto, entre os benefícios temos a melhor qualidade do ar, redução de custos operacionais, economia de energia, além da valorização  do imóvel e do seu entorno.

Mas, e o retrofit no Brasil?

No Brasil, retrofit ainda é uma técnica pouco difundida, mas que já pode ser observada em grandes construções como, por exemplo, o Paço do Frevo, em Recife, a Estação da Luz e o Estádio do Pacaembu, em São Paulo, todos referências de requalificação do espaço construído.

O Departamento Nacional de Empresas projetistas e Consultores (DNPC) da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava) ressalta os benefícios de se fazer o retrofit de sistemas de ar condicionado e alerta que equipes de projetos são fundamentais na elaboração dos estudos preliminares e do próprio projeto.

Segundo o vice-presidente do DNPC, o engenheiro Fábio Pires Takacs, “apesar de o Brasil ser um país em desenvolvimento, onde ainda há muito a ser feito, já possui um vasto parque de edificações existentes, construídas nas décadas de 60 e 70, que continuam em plena utilização, interessantes pela sua localização ou outras características particulares, e que demandam adequação dos seus sistemas à novas condições de ocupação e atividades, normas técnicas atualizadas, racionalização do uso de energia, etc.”

Abaixo separei alguns modelos, para juntos, entendermos melhor o conceito.





E você, já tinha ouvido falar do retrofit? O que achou? Conta pra gente!

25 visualizações

RECEBA AS NOVIDADES

© O Chá das Quatro

              2018.